Blog

Vitiligo

Por Nathalia Hoffmann, Dermatologista

 

O que é vitiligo?

O vitiligo é uma condição caracterizada pelo surgimento de manchas brancas na pele. A perda de pigmento ocorre devido a perda dos melanócitos, as células que produzem melanina, pigmento responsável pela coloração tanto da pele como dos cabelos.

 

Como é classificado o vitiligo em relação ao acometimento da pele?

O vitiligo é classificado em dois sub-tipos:

  • Segmentar: as manchas tendem a aparecer nos dois lados do corpo, como por exemplo, ambos os joelhos. Dentro deste subtipo encontram-se o vitiligo generalizado, o acrofacial ou acral, o mucoso e o universal.
  • Não segmentar: nesse subtipo as manchas brancas ocorrem em apenas um lado do corpo, ou seja, unilateralmente.

 

O que é vitiligo acral?

Vitiligo acral é quando as lesões despigmentadas se localizam nas extremidades distais, ou seja, especificamente nas mãos e nos pés, sendo comumente observado na ponta dos dedos. Este tipo de vitiligo pode eventualmente evoluir para outros locais do corpo, progredindo para um vitiligo generalizado, por exemplo.

 

O que é vitiligo mucoso?

O vitiligo mucoso normalmente envolve a mucosa oral e a mucosa genital. Ele pode ocorrer tanto no contexto de vitiligo generalizado ou como uma forma isolada de vitiligo.

 

Quando o vitiligo é chamado universal?

O vitiligo universal refere-se à despigmentação completa ou quase completa da pele. Isso significa que praticamente toda a superfície da pele perde a sua pigmentação natural, resultando em manchas brancas por todo o corpo.

 

Qual a causa do vitiligo?

A causa do vitiligo ainda não está completamente elucidada. Apesar disso, a causa pode estar relacionada a fatores genéticos, imunológicos e ambientais. Estudos sugerem principalmente uma possível causa autoimune, no qual as próprias células de defesa do organismo atacam os melanócitos.

 

Em que idade o vitiligo aparece?

O vitiligo pode surgir em qualquer idade, desde a infância até a fase adulta. Uma maior incidência é observada entre 20 e 30 anos.

 

Existe alguma maior tendencia ao desenvolvimento de vitiligo por sexo ou etnia?

O vitiligo afeta igualmente homens e mulheres. Também não há predileção por etnia ou raça.

 

Quais as situações que podem desencadear o vitiligo?

Indivíduos predispostos podem desenvolver vitiligo a partir de estresse emocional, doenças da tireoide, gravidez, traumas cutâneos e/ou queimaduras. Essas condições não são consideradas causas do vitiligo, mas são identificadas como gatilhos que eventualmente precedem o surgimento da doença.

 

O vitiligo costuma se associar a outras doenças?

Pode haver associação do vitiligo com outras doenças, como alopécia areata, doenças da tireoide, diabetes mellitus, artrite reumatoide, psoríase, doença inflamatória intestinal.

Novos estudos mostram maior risco de vitiligo em pacientes receptores de transplantes de células-tronco hematopoiéticas e pacientes com enxertos alogênicos ou doença do enxerto versus hospedeiro.

 

Quais locais da pele mais frequentemente acometidos pelo vitiligo?

As manchas do vitiligo podem aparecer em qualquer parte do corpo, tendo uma predileção por face, mãos, braços, pés e ao redor dos orifícios naturais do corpo, como a boca, os olhos, as narinas e a região genital. O vitiligo pode afetar os cabelos, causando mechas de cabelos brancos. O envolvimento ocular e de mucosas do vitiligo também pode acontecer.

 

Como é realizado o diagnóstico?

O diagnóstico é realizado através da avaliação clínica do paciente pelo médico dermatologista.

O uso de uma luz especial chamada lâmpada de Wood (luz ultravioleta) é usada pelo dermatologista para examinar a pele mais detalhadamente e auxiliar no diagnóstico diferencial do vitiligo. Raramente a biópsia de pele é necessária.

 

O vitiligo é contagioso?

Não, o vitiligo não é contagioso.

 

Porque o paciente com vitiligo deve ser avaliado pelo dermatologista?

Porque o vitiligo pode associado a outras condições médicas, por isso uma avaliação completa realizada pelo médico dermatologista é fundamental. Além disso, alguns pacientes se sentem constrangidos com as manchas, especialmente em areas expostas, podendo desencadear problemas emocionais e impactar na qualidade de vida dos pacientes.

Importante lembrar sempre que cada paciente é único, cada caso de vitiligo também. Portanto, a avaliação do dermatologista determinando a extensão, localização, idade, progressão e as doenças associadas vai propiciar ao médico oferecer as melhores opções para cada paciente.  O tratamento ideal deve ser discutido e planejado exclusivamente para você juntamente com o seu dermatologista.

 

O que pode piorar o vitiligo?

Traumas em região de pele sã podem fazer surgir lesões de vitiligo no local que ocorreram. Por exemplo, traumas mecânicos de repetição, fricção, arranhões, pequenos cortes cutâneos, lesões por pressão, dermatites e alergias e pequenas lacerações podem ser fatores que desencadeiam novas lesões de vitiligo. O nome dessa resposta é “Fenômeno de Koebner”, pode ocorrer no vitiligo e também em outras doenças dermatológicas.

 

Como o vitiligo evolui?

A evolução do vitiligo costuma se caracterizar por períodos de progressão, onde novas lesões surgem e as lesões já existentes podem aumentar em extensão, e períodos de remissão, onde a doença permanece em latência. O tempo de duração de cada fase é imprevisível.

 

Preciso usar protetor solar nas lesões de vitiligo?

O uso de protetor solar nos locais com vitiligo é importante porque as manchas estão desprotegidas do sol, pois são desprovidas do pigmento da pele, a melanina. Elas podem sofrer queimaduras solares e, com a exposição crônica ao sol sem proteção, podem surgir lesões pré-cancerosas. Se você tiver vitiligo, use sempre um com protetor solar na pele exposta e das manchas, mesmo no inverno e em dias nublados.

 

Existe tratamento para o vitiligo?

Sim, existem várias opções de tratamento para o vitiligo. Apesar de ainda não existir cura para essa condição, há tratamentos eficientes que visam estabilizar a doença, controlando o surgimento de novas lesões e também induzindo variados graus de repigmentação, dependendo de cada paciente.

 

Quais os tratamentos mais usados para o vitiligo?

Entre os tratamentos mais usados estão os medicamentos tópicos, como pomadas e cremes com corticoides, inibidores tópicos da calcineurina, inibidores da Jak. Alguns casos requerem tratamentos sistêmicos, que devem ser prescritos e acompanhados por dermatologista.

A fototerapia com UVB, UVB narrowband ou PUVA está também indicada, assim como o tratamento cirúrgico, que envolve algumas técnicas de coleta e transplante de melanócitos.

 

Quando está indicado o tratamento cirúrgico para o vitiligo?

O tratamento cirúrgico está indicado para quadros estáveis, em que as lesões não estão mais aumentando. Nestes casos, utilizamos o enxerto com transplante de melanócitos, uma técnica delicada e indolor, realizada em consultório, que cobre com melanócitos ativos a área descorada do vitiligo, onde os melanócitos não estão mais produzindo a melanina.

 

Se você suspeitar que possa ter vitiligo, deve ser avaliado para aconselhamento e seguimento. Ficou com alguma dúvida sobre o tema? Estamos à disposição para esclarecer!