Pioneirismo em tratamentos cosméticos
Procedimentos Voltar

PEELINGS QUÍMICOS

 

 

Os peelings químicos são um tipo especial de tratamento na qual o médico aplica diferentes produtos químicos sobre a pele com o objetivo de provocar a descamação de uma ou mais camadas da pele, com fins terapêuticos.
Pode ser realizado na face, nos braços, no pescoço, no colo, etc. A profundidade da descamação é controlada pela escolha do produto, pela sua concentração, número de camadas aplicadas, entre outros fatores, no sentido de provocar o tipo de peeling que o paciente necessita. Nesse sentido, a experiencia do médico é importante na realização deste tipo de procedimento.

 

Tipos de peelings químicos e principais indicações 


A indicação correta do peeling é feita através da avaliação médica, onde as características da pele do paciente e os problemas a ser tratados serão considerados. Assim, os peelings podem ser superficiais, médios ou profundos.

SUPERFICIAL
Apenas as camadas bem superficiais da epiderme são removidas. Este tipo de peeling quimico provoca uma descamação bastante discreta (semelhante a uma queimadura solar leve), permitindo com que o paciente mantenha suas atividades sociais. Após o procedimento ocorre uma descamação fina e superficial. É indicado para rejuvenescimento facial, melhora do aspecto da pele e em algumas patologias como acne, melasma e outras.

MÉDIO
Remove todas as camadas da epiderma, podendo chegar até a derme superficial. O paciente deve se afastar de suas atividades por aproximadamente 8 dias, pois a pele fica escurecida e ocorre uma descamação da pele mais evidente e mais espessa. É indicado para tratar o dano solar e algumas manchas da pele, além de lesões pré-cancerosas, como as ceratoses actínicas.

PROFUNDO
Nos peelings químicos profundos, a ação do produto atinge a derme média. Deve ser realizado com monitorização e de preferência em ambientes hospitalares, pois necessita sedação do paciente, pois é bastante doloroso. Ocorre vermelhidão, inchaço e exsudação da pele no pós-procedimento. A recuperação é mais lenta e pode levar de 2 a 4 semanas. Indicado para fotodano grave e cicatrizes de acne. Há riscos de cicatrizes neste tipo de peeling.

 

Número de sessões

 

O número de seções necessárias e o intervalo entre as aplicações será determinado pelo médico, para se obter o resultado esperado. Em geral os peelings mais superficias são feitos em intervalos menores, como 15 a 30 dias, enquanto que os médios são realizados apenas a cada 6 a 12 meses, e os peelings profundos são repetidos com intervalos de muitos anos, se houver indicação.

 

Como fica a pele depois de um peeling químico?

 

Imediatamente após a aplicação de um peeling a pele pode ficar escurecida e muito ressecada. Ela vai descamar em um período variável, dependendo do tipo de peeling que foi realizado. O tipo de descamação varia, sendo superficial e discreta nos peelings superficiais e intensa, podendo até formar crostas, nos peelings profundos.

A descamação dos peelings não afina a pele, ao contrário, normaliza-a pela redução do dano solar.

 

Riscos e complicações 

 

As complicações dos peelings são fáceis de serem manejadas por médico experiente, que tomara varias medidas para prevení-las. O risco de complicações é maior quanto mais profundo é o peeling. Existe risco de reação alérgica ao produto aplicado. As manchas escuras ou claras são as complicações mais comuns e podem ser temporárias ou permanentes. Infecções secundárias também podem ocorrer, principalmente após peelings médio e profundo. Eventualmente pode haver formação de cicatrizes, sendo mais comum nos peelings profundos.

Se você tem alguma dúvida em relação aos PEELINGS QUÍMICOS, consulte um dermatologista.