Pioneirismo em tratamentos cosméticos
Procedimentos Voltar

CIRURGIA MICROGRÁFICA DE MOHS

 

 

A Cirurgia micrográfica de Mohs é uma técnica cirúrgica mais elaborada, usada para o tratamento de alguns cânceres da pele. É a técnica cirúrgica disponível que oferece os maiores índices de cura, resultantes da retirada completa do câncer e maior preservação de pele normal não afetada pelo câncer. Por isso, as chances de recidiva dos tumores removidos por esta técnica são muito pequenas.



Esta técnica foi desenvolvida pelo médico americano Dr. Frederic Mohs e leva o seu nome em reconhecimento. É uma técnica indicada para o tratamento de cânceres de pele que são mais agressivos e têm taxas de recidiva alta, além de lesões grandes, em regiões do corpo com maior risco de recidiva e em áreas cosmeticamente sensíveis, onde a preservação do tecido é mais importante até para a presenvação da função, além de outras indicações especiais.



Com a cirugia de Mohs, uma pequena porção do câncer e da pele ao redor dele são retirados cirurgicamente através de um corte especial com ângulo espefífico. O paciente espera enquanto o tecido é preparado imediatamente após o procedimento, e assim que estiver pronto, todas as margens ao redor e abaixo do câncer são analizadas microscópicamente. Se o câncer foi retirado completamente, o cirurgião fecha a área onde a lesão foi removida, reparando cirurgicamente. Sendo realizadas em algumas regiões funcional e cosmeticamente sensíveis, as técnicas de reconstruções são mais complexas do que cirurgias convencionais. Se o câncer não foi retirado completamente, o cirurgião retira outra camada de tecido, a ser analizado histologicamente no mesmo momento, até que o câncer tenha sido completamente removido. A cirurgia micrográfica pode levar várias horas e o paciente deve se preparar para um procedimento mais longo, pois pode levar o dia inteiro para completar o procedimento.



Já na cirurgia convencional (excisão) de um câncer da pele, uma margem de pele normal é retirada de, no mínimo, 2 a 5 mm. A lesão retirada na técnica de excisão convencional é mandada para o exame histológico (ou anantomo-patológico), que leva 5 a 14 dias para ser finalizado, e no qual somente amostras representativas das margens - e não todas as margens - são examinadas. O paciente fica sabendo se o câncer foi completamente retirado somente após 5 a 14 dias. Se não completamente retirado, ele precisará de outro procedimento adicional. Isso dificilmente ocorre em uma cirurgia de Mohs, pois as margens são examinadas no mesmo dia e durante o procedimento e a cirurgia só termina quando todas as margens examinadas estiverem livres do câncer ou tumor.

 

Se você tem alguma dúvida sobre A CIRURGIA MICROGRÁFICA DE MOHS ou sobre a sua utilização, consulte um dermatologista.